Orientações Sobre Tosse

orientacoes tosse

A Tosse é um sintoma frequentemente confundido pelas pessoas como uma doença. Tosse não é uma doença. Tosse é um sintoma. E um outro ponto muito comum de erro entre as pessoas é relacionar a tosse sempre com o aparelho respiratório, com o seguinte raciocínio: “se tem tosse o paciente tem problemas no aparelho respiratório”. E esta frase não é verdadeira.

Vamos pegar alguns exemplos práticos, porque o que interessa para nós é a Farmacologia Prática.

<<<—– [Mini-Aula 002] Orientações Ao Paciente

Problemas Digestórios Causam Tosse

Refluxo Gastroesofágico: é uma doença do sistema digestório (sistema digestório é a nova nomenclatura para sistema digestivo).

Quando você ingere um alimento ele passa pela sua faringe, vai para o esôfago, estômago e intestino. Então a tendência dele é sempre descer. Junto com este alimento nós temos várias enzimas e sucos que ajudam no processo digestivo.

Quando estes sucos ao invés de descer do estômago para o intestino eles sobem para o esôfago, aí você tem o Refluxo que popularmente as pessoas falam que causa muita “queimação”.

Veja bem: um problema digestório que causa tosse. O refluxo gastroesofágico causa tosse. E às vezes o paciente não entende porque o médico prescreveu para ele um Omeprazol ou outro medicamento para o trato digestório.

Vermes Causam Tosse, Gastrites também causam tosse. Rinossinusite causa tosse. Otite causa tosse. Medicamentos causam tosse.

Medicamentos Causam Tosse

Um dos medicamentos que mais causam tosse nos pacientes é o Captopril. E os dados mostram, as pesquisas apontam que até 8% dos pacientes precisam trocar de medicação ou muitas vezes abandonam o tratamento por causa da tosse. E aí cabe a interferência precisa  do Profissional do Varejo Farmacêutico.

Este paciente troca a medicação, mas ainda relata que após comprar o novo medicamento anti-hipertensivo, ainda apresenta tosse.

O Captopril, mesmo após o paciente parar de tomar a medicação pode continuar causando tosse por algum tempo. Cabe ao Profissional do Varejo Farmacêutico reforçar esta orientação do médico, que esta tosse irá ceder, que não é o novo medicamento que está causando a tosse.

A maioria dos Profissionais do Varejo Farmacêutico se contentam em aprender as causas mais comuns da tosse e perdem a oportunidade de terem informações mais aprofundadas, consistentes e importantes para repassar para os seus clientes/pacientes quando da orientação no balcão da drogaria. Tosse não é uma doença, é um sintoma e por isto, se alguém está tossindo é porque o organismo está reagindo a algum estímulo ou alguma coisa de diferente está acontecendo.

Causas Da Tosse

  • Doenças bacterianas: Pneumonia, Coqueluche e Rinossinusite
  • Doenças Viróticas: Gripe, Resfriado e Bronquiolite
  • Doenças Parasitárias: Ascaridíase, Estrongiloidíase e Esquistossomose
  • Medicamentos: Inibidores da ECA (Captopril, enalapril), Betabloqueadores (Propranolol, Timolol)
  • Outras Causas: Asma, Câncer, Refluxo Gastroesofágico e Tabagismo.

Medicamentos Para Tosse

  • Iodeto de Potássio e Guaifenesina
    • Xaropes antitussígenos, expectorantes ainda apresentam uma venda significativa no mercado do Varejo Farmacêutico, apesar de na literatura não haver dados consistentes sobre o benefício destes medicamentos no alívio da tosse.
  • Ambroxol e Bromexina
    • São substancias expectorantes. Algumas pessoas costumam dizer que um é melhor do que o outro. Isto é um erro, visto que a Bromexina quando é metabolizada no fígado sofre a transformação para Ambroxol. Sendo assim, não se justifica falar que uma substancia é melhor do que a outra. As propriedades destes princípios ativos são idênticas, exceto a posologia.
  • N-Acetilcisteína e Carbocisteína
    • Além do uso em xaropes expectorantes mucolíticos a N-Acetilcisteína é utilizada em Salões de Beleza por conter a Cisteína que é o principal aminoácido que integra a composição da Queratina, presente na fibra capilar. A N-Acetilcisteína também existe em colírios, onde o principal uso é em caso de conjuntivites onde existe uma secreção abundante.
  • Dropropizina
    • Antitussígeno utilizado quando o paciente tem uma tosse “seca”, uma tosse não produtiva, que não há secreção e esta tosse por ter sua frequência e intensidade aumentada está prejudicando a qualidade de vida do paciente, perturbando o seu sono, por exemplo. Antitussígeno de ação periférica, ou seja, age nas fibras nervosas que conduzem o estímulo da tosse. A Dropropizina não atua no centro da tosse.
  • Levodropropizina
    • Antitussígeno bastante semelhante à Dropropizina. Mesmo mecanismo de ação, mesmas reações adversas. Devemos observar a diferença na Posologia e ter bastante atenção no que se refere à posologia para as Crianças.
  • Clobutinol e Dextrometorfano
    • Dois princípios ativos antitussígenos de ação central: Clobutinol e Dextrometorfano. Destaque para a possibilidade de reação adversa do Clobutinol: Arritmia Cardíaca. Alguns laboratórios retiraram espontaneamente o Clobutinol da sua produção devido a este fato. O Clobutinol e o Dextrometorfano atuam no centro da tosse (no bulbo).

Sobre o Autor: Telmo Giani

Foto Curso Farmacologia OnlineTelmo Giani é Farmacêutico, Professor e Palestrante. Criou e desenvolve uma Metodologia Diferenciada de Estudo da Farmacologia. Ele consegue sintetizar em vídeos de 5 a 8 minutos as melhores Dicas, Orientações e “Macetes” sobre Doenças e Medicamentos. Já treinou mais de 12.000 Profissionais do Varejo Farmacêutico. Veja neste site: http://farmacologiaonline.com

Clique no banner abaixo para acessar o site:

logo-branco3-600x131