Anticoncepcao De Emergencia (Pilula do Dia Seguinte)

pilula do dia seguinte

Telmo Giani aborda nesse vídeo o uso de um medicamento muito conhecido, muito comum e infelizmente usado de forma errada por muitas pessoas.

A Pilula de Emergencia ou Anticoncepcao de Emergencia que várias pessoas chamam inadequadamente de “Pilula do Dia Seguinte“.

É inadequado esta denominação porque muitos pacientes acabam tendo dúvida e perguntando se só podem tomar o medicamento no dia seguinte da relação sexual desprotegida e não imediatamente. Saiba mais no Vídeo-Post abaixo.

Conheça o Portal Atualização Farmacêutica. Um Portal dedicado ao Treinamento Online de Atendentes de Drogaria e Farmacêuticos.

—–>>>Veja o próximo vídeo: Orientações Aos Pacientes

Anticoncepcao De Emergencia

É evidente que quanto mais rápido se usa a pilula de emergencia, mais rápido nós teremos a ação do medicamento, com mais eficácia.

Proteção da Anticoncepcao De Emergencia

Se a paciente usa a Pilula de Emergencia:

  • Até 12h após o nível de proteção é de 98%
  • Se a paciente usa com 24h a proteção já começa a cair, vai para 95%
  • Se a paciente demora 48h para tomar a anticoncepcao de emergencia esta proteção vai a de 85%
  • E com 3 dias (72h depois) esta proteção é de 57%.

A medida que vai passando mais o tempo, (e a pílula pode ser usada até 5 dias após a relação sexual) você tem uma queda significativa e progressiva desta proteção.

Dúvidas Em Relação À Anticoncepcao de Emergencia

Em relação à Anticoncepcao de Emergencia várias são as dúvidas que surgem no balcão da drogaria. Várias são as dúvidas que surgem no Varejo Farmacêutico.

  • Uma dúvida bastante comum é: “Posso Tomar Os Dois Comprimidos”? Ou precisa tomar um e depois o outro?
(Isto quando se trata da apresentação com dois comprimidos de 0,75mg de Levonorgestrel)
Vários estudos, vários trabalhos mostraram que a eficácia do medicamento quando se toma os dois comprimidos ou quando se toma um e depois o outro é a mesma. Então é muito melhor a paciente tomar os dois comprimidos do que um só. Evita-se o esquecimento. Pois ao tomar um comprimido e após 12 horas tomar o outro corre-se o risco da paciente esquecer.
  • A Anticoncepcao de Emergencia é um Método Abortivo?
Um outro ponto muito importante a ser lembrado é que a anticoncepção de emergência não é um método abortivo. Pelo menos até o momento, com todos os trabalhos pesquisados e estudados. Saiu inclusive um documento do Ministério Da Saúde recentemente abordando este questionamento.
A Contracepcao De Emergencia não é aconselhada e não pode ser utilizada após a mulher ficar grávida. A contracepção de emergência não atua após a fecundação, ou seja, após o espermatozoide penetrar no óvulo. Ela atua antes.
Como atua a Pilula de Emergencia?
  • Ela atua inibindo ou retardando a ovulação da mulher
  • Ela atua tornando o muco do aparelho reprodutor feminino mais espesso e dificultando a locomoção dos espermatozoides;
  • Ela atua também interferindo na Capacitação dos Espermatozoides, no processo onde o espermatozoide fica viável para realizar a fecundação.

Então não existe, até o momento, evidências de que a pilula de emergencia atue após uma gravidez ou após a fecundação.

Uma outra dúvida observada bastante em relação à Contracepcao De Emergencia:

  • O que fazer quando a paciente toma a pilula de emergencia e apresenta vômito? (Até 1 ou 2 horas após)

Existem realmente pacientes que após tomarem a pilula de emergencia apresentam vômitos e que são recorrentes. Muitas vezes não adianta nem tomar um antiemético (medicamento para combater o vômito).

Neste caso existe um procedimento simples e bastante efetivo para estas mulheres:

  • Colocar a Pílula pela via vaginal

É isto mesmo! A efetividade da pilula de emergencia quando colocada na vagina é a mesma quando utilizada pela via oral. Trata-se de uma alternativa bastante eficaz e pode ser muito bem utilizada quando a paciente apresenta estas dificuldades de administração por via oral.

Sobre o Autor: Telmo Giani

Foto Curso Farmacologia OnlineTelmo Giani é Farmacêutico, Professor e Palestrante. Criou e desenvolve uma Metodologia Diferenciada de Estudo da Farmacologia. Ele consegue sintetizar em vídeos de 5 a 8 minutos as melhores Dicas, Orientações e “Macetes” sobre Doenças e Medicamentos. Já treinou mais de 12.000 Profissionais do Varejo Farmacêutico. Veja neste site: http://farmacologiaonline.com

Clique no banner abaixo para acessar o site:

logo-branco3-600x131

  • neilo batista

    Gostaria de confirmar ou não, se caso já ocorrido a fecundação do óvulo logo em seguida da relação o

    anticoncepcional de emergência impede a nidacão do mesmo no útero devido aos efeitos levonorgestrel no muco do mesmo?

    • Wilson Coimbra

      A pílula de emergência não atua após a fecundação, conforme já demonstrado em vários trabalhos científicos. Caso ocorra a fecundação, a pílula de emergência não impedirá a nidação pois seu mecanismo de ação não abrange a alteração do endométrio.
      Lembre-se que menos de 30% dos óvulos fecundados levarão a gravidez.